CONFERÊNCIA "BOAS CAUSAS PARA O BEM ESTAR SOCIAL"

 
# 7 NOV 2019 | 2.00 am – 5.30 pm (quinta-feira/ Thursday)
Local/ Location: Pequeno Auditório - Culturgest - Lisboa

CONFERÊNCIA “BOAS CAUSAS PARA O BEM ESTAR SOCIAL”
CONFERENCE "GOOD CAUSES FOR SOCIAL WELFARE"
 
 
 
Coorganização/ Co-organization:
 
 
PROGRAMA / PROGRAMME:
 
14h00: BOAS VINDAS
 
Mário Parra da Silva, Chair of the Board da Global Compact Network Portugal
Edmundo Martinho, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

14h15: PALESTRA "AS DESIGUALDADES EM PORTUGAL"
 
Orador: Carlos Farinha Rodrigues, Professor do ISEG (Instituto Superior de Economia e Gestão) da Universidade de Lisboa
 
14h45: MESA REDONDA "CONTRIBUTOS PARA A REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES EM PORTUGAL"
 
Moderador: Miriam Alves, Jornalista
 
Convidados:
Sérgio Cintra, Vogal da Mesa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Diogo Simões Pereira, Diretor Geral da EPIS - Empresários Pela Inclusão Social
Katiuska Cruz, Agência Nacional de Inovação 
Miguel Ribeirinho, Responsável pelo Desenvolvimento de Novos Negócios Internacionais na Delta Cafés

16h25: ESPAÇO PAR ADEBATE E ESCLARECIMENTO DE DÚVIDAS

16h45: ENCERRAMENTO
 
 
Entrevista à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa no âmbito da Semana da Responsabilidade Social 2019
 
SRS: A SCML dedica-se à promoção do bem-estar social, e foca-se nos temas da ação social, saúde, património, cultura, educação e inovação. Desde a sua criação, e tendo a sociedade portuguesa passado por contextos sociais tão diversos, de que modo é que a SCML tem conseguido cumprir a sua missão?
SCML: Com mais de cinco séculos de existência, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem tido uma capacidade inesgotável de adaptação aos desafios e realidades de cada tempo. Faz parte da sua matriz fundadora, porque só dessa forma é possível cumprir com a sua missão de forma eficiente e cada vez mais alargada ao longo de séculos, providenciado, em cada momento da sua longa história, respostas robustas e inovadoras nas várias áreas de intervenção. E no âmbito das nossas ações internas e externas nestes tempos contemporâneos, o paradigma da sustentabilidade está sempre presente. 
 
SRS: Em 2018, a SCML aderiu ao UN Global Compact, uma iniciativa das Nações Unidas para a sustentabilidade. Qual é a importância de a SCML aderir a esta iniciativa de sustentabilidade global?
SCML: O UN Global Compact, ao mobilizar um vasto conjunto de entidades em torno de princípios com os quais nos alinhamos, é uma iniciativa que representa aquilo em que acreditamos. Objetivos tão amplos e desafiantes não podem ser concretizados de forma isolada pelas organizações. Só através de uma ação conjunta, da mobilização coletiva, da disseminação de práticas e de conhecimento é que podemos obter resultados com mais impacto, mais consistentes e duradouros. A mudança é mais sólida se resultar de um esforço coletivo. Ao integrar um fórum desta dimensão e natureza, a Santa Casa poderá partilhar experiências e também conhecer práticas de vanguarda com outras entidades públicas e privadas que têm trabalhado de forma empenhada dentro do quadro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.
 
SRS: De que forma a organização está a alinhar as suas operações e a sua estratégia com os 10 Princípios UN Global Compact e os ODS?
SCML: Para concretizar o alinhamento com os 10 Princípios da Sustentabilidade do UN Global Compact e com os ODS, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa está a elaborar um novo Plano Estratégico de Sustentabilidade, um Plano de Prevenção dos Riscos da Corrupção e Infrações Conexas e um Plano da Diversidade e Inclusão, de modo a incorporar operacionalmente estes temas no seu ciclo de atividade. O primeiro passo já foi dado, ao incluir-se a Agenda 2030 nos Objetivos Estratégicos da Santa Casa para 2019-2021.
 
SRS: Os desafios de índole social são os mais urgentes da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, estando presentes nos primeiros Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Em termos concretos, quais são os principais desafios da atualidade, identificados pela SCML, neste âmbito?
SCML: Em 521 anos de existência, a Santa Casa tem tido nos desafios de índole social a sua missão basilar. É esta a sua razão de existência primária e tem sido na resposta às fragilidades da sociedade que a Misericórdia de Lisboa se tem assumido como uma instituição de inegável referência em Portugal. Um reconhecimento que só é possível com o esforço contínuo da Santa Casa na identificação dos desafios sociais em cada tempo, em cada momento, em cada época. Quase a entrarmos em 2020, os desafios sociais são hoje muito diferentes daqueles que até há bem poucos anos enfrentávamos e, no atual quadro, todas as respostas sociais devem ser pensadas e executadas numa lógica de sustentabilidade social e ambiental, integrando diferentes valências e modelos.   
 
SRS: E quais são as estratégias da SCML para fazer face aos mesmos?
SCML: A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem vindo a desenvolver nos últimos anos novos paradigmas de resposta social, que considera serem verdadeiramente inovadores no âmbito do terceiro setor e da economia social. A concretização prática de conceitos como a intergeracionalidade ou a longevidade, na missão diária da Santa Casa e nos projetos que vai desenvolvendo, tem permitido produzir resultados verdadeiramente inovadores, que contribuem para uma melhoria na vida dos seus utentes nas áreas social e da saúde e um reforço na oferta dos serviços que presta à comunidade através das suas ações nos setores da cultura, desporto, património ou apoio à investigação científica.
 
SRS: A SCML está a organizar, no âmbito da Semana da Responsabilidade Social 2019, uma conferência sobre Boas Causas e Bem-estar Social. Qual é a importância, para a organização, de se associar a iniciativas desta natureza?
SCML: No entendimento da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, trata-se de uma iniciativa muito virtuosa que pretende promover um debate ativo entre empresas, organismos públicos, universidades, parceiros sociais, entidades da economia social e da sociedade civil, enquadrado nos ODS da Agenda 2030. A participação num fórum deste tipo tem todo o potencial para proporcionar mais-valias em matéria de troca de experiências e conhecimento dentro da Rede Portuguesa e das Redes Mundiais do UN Global Compact. Além disso, a participação da Santa Casa neste encontro permitirá à instituição comunicar os seus compromissos, planos e projetos, que têm como objetivo contribuir diariamente para um Desenvolvimento mais Sustentável.
 
SRS: Em três palavras, como define “sustentabilidade”?
SCML: Equilíbrio, permanência e solidez.
 
 

Pesquisar

Associados

 
with passion by softag